24 abril 2010

É preciso prática para beber vinho

Acho que desde 2006 eu não bebia o vinho Cantina da Serra. Eu sei o que alguns de vocês estão pensando, estão revoltados e coçando o dedo para bradar "Cantina da Serra não é vinho!", Mas para fins práticos vamos considerar nenhuma filosofia desse tipo, que é equivalente a um "Atlético-PR não é time!". Ora, tem uniforme, joga com 11, é time sim. Se é bom ou não é uma questão de opinião e fase. Mas é time.

Antigamente eu tomava esse vinho semanalmente, nos tempos do IFCS. Na Lapa e nas noites adentro das maratonas Odeon a garrafa oficial era a minha. Umas duas semanas atrás recebi a visita de dois amigos, e na correria de comprar cervejas, escolhi o Cantina da Serra na promoção de um posto, correndo, meio que sem pensar, para um amigo que não bebeia cerveja. O amigo saiu daqui sem um gole sequer, não sei se ofendido pela marca escolhida ou alguma questão superior. Mas no dia seguinte eu resolvi abrir o treco, e no primeiro gole aquela coisa desceu tão estranha na minha garganta que eu fiquei meio assustado de saber que bebia aquilo sempre. Como eu conseguia?

Nesse momento, acabei de terminar o último copo da garrafa. Com um pouco de insistência, e uma chegada em casa ainda sobre o efeito de alguns chopps, o vinho desceu. E depois, no dia seguinte, aquela cara feia intercalando os goles não existia mais.

O vinho é uma bebida paciente. Ela não sai da produção direto para seu paladar. Ele espera, cauteloso e temeroso de seu destino, em algum lugar, por volta de dois anos. O vinho não sabe construir relações rapidamente, ele só se sente à vontade em algum lugar depois de um tempo. Certas pessoas são assim como o vinho e não se sentem prontasde imdiato para consumo. A estas é preciso se dedicar com a paciência de um sommelier para se construir uma relação. Normalmente uma pessoa como o vinho é tão chique quanto. Entenda: Por mais barato que o vinho seja, ele ostenta uma certa 'classe' do lado das cervejas.

E provar o vinho, como expliquei no começo do texto, é complicado também. Se seu paladar não está acostumado, ele não desce bem. Mas aos poucos, você não quer tomar outra coisa. E nos resta fingir ser sommelier, tentando fazer com que o paladar seja adequado.