13 junho 2011

Oldgirl (Carta Aberta para Gilberto Braga)

O meu filme favorito se chama Oldboy. É de 2003, é uma produção sul-coreana baseada num mangá japonês que nunca ouvi falar e nem li, só conheço a versão do filme. Pretendo nunca achar o mangá, não quero estragar o melhor filme da minha vida.

Oldboy é uma história sobre vingança. Montada e planejada por toda uma vida. Uma narrativa estonteante. Um final lindo. Enfim, acho que vocês deveriam assistir, mas é só minha opinião.

***

Acompanhei "Celebridade" de Gilberto Braga. Parava o que estava fazendo para assistir. Acompanhava capítulo por capítulo. Me deliciava com Darlene, Renato Mendes e Laura Prudente da Costa. Já "Paraíso Tropical" eu não lembro nem da abertura, não lembro de cena alguma e só lembro que tinha um Olavinho e uma Bebel. Estou falando sobre isso para explicar que minha atenção para "Insesato Coração", a atual novela do Gilberto Braga, é algo entre essas duas novelas. Não paro para ver, mas se não estiver fazendo nada eu vejo. É claro que isso deixa alguns furos na trama para mim, mas mesmo assim gostaria de fazer um pedido e explicar os motivos desse pedido ao autor.

Me encanta como nenhuma outra a personagem vivida por Glória Pires, a Norma. Ela era a boazinha, que foi enganada pelo Léo (Gabriel Braga Nunes), por uma outra amiga, comeu o pão que o diabo amassou na cadeia com a Cristiane Oliveira fazendo o papel de Araci e agora livre, parte em busca de vingança contra o homem que não só roubou uma grande quantia em dinheiro colocando a culpa nela como também ainda a desprezou, e riu da cara dela, dizendo "Você acha mesmo que alguém poderia se interessar por você?".

Pois Norma saiu da cadeia, conseguiu algum dinheiro, arrumou uma aliada e começou a investigar a vida de várias pessoas que cercavam a vida do Léo. Para conseguir mais poder e dinheiro, conseguiu encantar um velho milionário, o Teodoro vivido por Tarcísio Meira. Quando soube que Léo iria casar no dia seguinte com a herdeira milionária Marina Drumond, Norma se desesperou. E numa das cenas mais bonitas que eu vi em novelas, possuída pelo ódio encharca uma toalha molhada no peito de um Teodoro já com pulmões debilitados, além de abrir todas as janelas do quarto no meio de um temporal. Ela desce as escadas e parece arrependida do que fez, mas o estrago era irremediável já. Ela chama a ambulância e mesmo assim Teodoro morre no hospital. Agora dona da grana, Norma tem a faca e o queijo na mão para derrubar Léo do sonho dourado de viver na Mansão Drumond.

A Norma me encanta tanto como me encantava a Laura Prudente da Costa. As duas viveram processos semelhantes, mas a diferença é que no início da novela a Laura já estava com sua vingança planejada. E é só por isso que ainda vemos Norma com certo amor: Nós vimos tudo que aconteceu com ela. Mas no fundo no fundo, os dois desejos de vingança são dignos de certa forma.

Mas a gente nunca pode se esquecer que estamos falando de uma novela, uma obra que começa sem final definido e que está condicionado a alterar em caso de mudanças após a leitura de curvas de audiência, pressão de diretores, questões morais e etc etc etc. Laura foi morta. E em uma outra novela que prometia ser espetacular, "A Favorita", o plano era não contar ao público quem era a mocinha e quem era a vilã até o fim da novela. Mas o público da novela não conseguiu engolir, não tinha para quem torcer. E a ideia fantástica de não saber quem era a mocinha foi abandonada no meio, fazendo nascer a psicopata Flora.

Meu medo é que as pressões externas da trama façam com que de alguma forma Norma não mate Léo no final da novela. Pode ser que Léo até morra, mas em algum acidente fugindo de alguém. Para o público médio, isso será um acerto de contas: Léo perde o jogo e Norma não suja as mãos. Mas o meu apelo para Gilberto Braga é que não exista outra opção para o fim da Novela que não seja Norma matando Léo. Ela e somente ela tem o direito de escolher entre a piedade e a morte e preferir a morte. Ela podia, de arma em punho, lembrar para Léo de quando ele disse "Você acha que alguém ia se interessar por você?". Norma já se envolveu com a morte de duas pessoas, já sujou as mãos. Descobrir piedade nesse meio tempo seria um crime contra a história que ela vem construíndo.

Acho que falo não só por mim que o Brasil precisa menos de bons exemplos e mais de desejos realizados. Em nome de Laura, Gilberto, não faça a iminente morte de Léo acontecer em vão.

2 comentários:

Mawara disse...

A Norma é meio que a salvação dessa novela, não há quem não se empolgue, quem não torça, e pelo desenho de vilão que o Léo vem tomando, acho que vai ser como se ela o matando estivesse livrando a sociedade e tals, salvando pessoas, uma morte redentora. Bom, pelo menos espero que seja assim, pq seria muito, muito frustrante se acontecesse que nem numa novela em que a Marjorie Estiano foi lá se vingar do Ferraço e acabou 'conquistando-o' e os dois 'viveram' felizes para sempre.

Maeve Rêgo disse...

concordo muito com vc Diogo, e com a Mawara tmb, como seria terrível esses finaizinhos medíocres ao qual estamos acostumados...

Acho que um dos pouco finais que subverteu, atual, foi o da tal Bia Falcão que ficou com o gostosão no final, rica e em outro pais.

Mas é tmb como você diz, com começo definido apenas, e quem manda no final é o publico que quer sempre um monte de casamentos e gravidez no ultimo capítulo.